Segunda-feira, 25 de Maio de 2009

 

Eu, Safiya foi um dos melhores livros que já li e que me cativou do início ao fim. Por ser uma história real e dramática que moveu e comoveu o mundo todo, teve para mim um especial interesse.

A história deste livro é contada pela própria Safyia e relatada pelo jornalista italiano, Raffaele Masto.

Safya vive numa aldeia da Nigéria onde o Islão aplica a sua lei do modo mais cruel e arcaico. Na lei islâmica, as mulheres que têm filhos fora do casamento são condenadas à lapidação: são enterradas até ao pescoço e apedrejadas até à morte. Safya é uma delas. A sua história rapidamente se espalhou pela imprensa mundial, levando governos e organizações a pressionar a Nigéria para salvar a sua vida, mesmo no último instante.

A história de Safya é um exemplo porque é igual à de tantas mulheres africanas. Mulheres que vivem num continente cheio de contradições e onde a vida humana pode valer pouco mais que nada.

 

Dália Oliveira

(professora de Matemática / equipa pedagógica da BE/CRE da E.B. 2,3 de Penedono)

 



publicado por Bibliotecas de Penedono às 15:18
Ainda não li o livro, mas pelo que li aqui parece ser muito interessante, um livro que relata uma história destas ainda por cima verídica só pode ser algo muito bom.
Filipa Ribeiro a 26 de Maio de 2009 às 15:28

"EU, SAFIYA ", FOI UMA DAS MAIS EMOCIONANTES HISTÓRIAS QUE JÁ LI! POR CAUSA DE UMA REPORTAGEM DO FANTÁSTICO, FEITA POR GLÓRIA MARIA, QUE ABORDAVA O ASSUNTO, FUI LEVADA PELA CURIOSIDADE A QUERER SABER MAIS SOBRE UMA MULHER DE CORAGEM QUE ENFRENTOU O SISTEMA RELIGIOSO E POLÍTICO DE SEU PAÍS PARA DEFENDER OS SEUS DIREITOS E OS DE SUA FILHA.
LUCIA HELENA C.DE SOUZA a 21 de Fevereiro de 2010 às 01:33

O blogue das Bibliotecas de Penedono
links
 
blogs SAPO