Sexta-feira, 01 de Fevereiro de 2013

Em 2006 a autora de "The Female Brain", Louann Brizendine,  parecia confirmar um mito urbano: as mulher falam mais do que os homens. Referia  a autora que, em média, as mulheres proferiam 20.000 palavras vs 7000 proferidas  pelos homens.

Vários foram os investigadores que refutaram estes dados,  entre os quais James Pennebaker docente da cadeira de psicologia na Universidade  do Texas, que nos estudos levados a cabo nesta matéria concluiu que homens e  mulheres falam praticamente o mesmo diariamente: 16.215 mulheres vs 15.669  homens.

Aqueles decididos a encontrar uma diferença de género neste  texto vão ficar contentes com o bónus: a diferença significativa não está na  quantidade de palavras mas no tipo de assuntos que são abordados, as mulheres  falam mais sobre outras pessoas e os homens sobre coisas concretas, diz a  investigação.

 

Você fala mas, ouve?

Enquanto a ciência descobre as maravilhas da linguagem há quem  considere que as histórias individuais merecem ser registadas para a  posteridade. Numa tentativa de criar uma "culture of listening" e manter a  tradição da oralidade,  nasceu nos EUA a Story Corps  pela mão de Dave  Isay . Desde 2003, o projeto cuja assinatura é "Every voice matters" registou  45.000 histórias e cerca de 90.000 participantes.

 

Ler mais: {#emotions_dlg.chat}



publicado por Bibliotecas de Penedono às 09:58
O blogue das Bibliotecas de Penedono
links
 
blogs SAPO