Sexta-feira, 03 de Fevereiro de 2012

Um excerto do livro Frankeinstein, de Mary Shelley, foi o mote para a criação de textos narrativos-descritivos, de terror, por parte dos alunos do 8.ºA, em trabalho de pares, na aula de Língua Portuguesa.

Aqui fica o texto do grupo do Henrique e do João Filipe:

 

Quando ouvi aquele grito horrível e estridente, desci rapidamente a escadaria e dirigi-me à cozinha onde vi uma cena horrenda: o horripilante monstro, com dois metros de altura, um casaco preto esfarrapado, uma enorme cabeça verde, com um parafuso enorme e costuras na testa rugosa, segurando na minha amada com a mão esquerda e esfaqueando-a com a direita.

Eu, profundamente aterrorizado, lancei um grito de guerra e atirei-me ao monstro, mas já era tarde demais e a minha amada estava despedaçada nas mãos daquela vil criatura.

O monstro, vendo o meu ataque, protegeu-se rapidamente e lançou-se na direção da porta, baixando-se para passar. Ainda o tentei seguir, mas aquela criatura já se tinha precipitado nos campos de trigo, sobrando apenas o seu trilho à luz do luar.

Eu voltei para a mansão, fui buscar o corpo mutilado da minha amada e,  chorando, limpei-lhe as mazelas do corpo, embrulhei-a em seda, e fui levá-la para a cidade fazendo-lhe um funeral decente.

Quando a minha amada já estava enterrada, eu jurei pela sua sepultura que ia encontrar aquele destruidor horrível que a matara e vingar-me dele. Dito isto, fui-me embora com uma lágrima nos olhos e comecei a busca pelo monstro.

{#emotions_dlg.skull}

 



publicado por Bibliotecas de Penedono às 15:40
O blogue das Bibliotecas de Penedono
links
 
blogs SAPO